Postado em 25 de Setembro às 11h15

Conheça as bactérias importantes para nosso intestino!

Notícias (87)
Quanty Vitta - A Revenda de Produtos Naturais que mais cresce no Brasil Nós temos em nosso intestino cerca de 100 trilhões de bactérias e elas estão envolvidas na produção de vitaminas...

Nós temos em nosso intestino cerca de 100 trilhões de bactérias e elas estão envolvidas na produção de vitaminas importantes para a nossa saúde e, inclusive, na produção de neurotransmissores como a dopamina e a serotonina, além de manterem a integridade do nosso trato digestivo.

Aproximadamente 80% dos nossos receptores imunológicos estão no intestino e se não tivermos uma boa ecologia intestinal com as bactérias boas preservadas estaremos em constante agressão imunológica, comprometendo toda a nossa saúde. O que significa que para termos saúde, precisamos ter o intestino saudável!

Sendo assim, para tratá-las corretamente, devemos comer alimentos fermentados que são ricos em bactérias boas (probióticas) e alimentos ricos em fibras (prebióticos) do tipo inulina e frutooligosacarídeos. Eles promoverão o aumento de bactérias boas que, segundo os estudos, estão relacionadas com a perda peso, controle da glicemia, redução de alergias e até mesmo reversão de certas doenças.

Estratégias para recuperar a ecologia intestinal 

Manter a amizade em dia requer alguns cuidados especiais. São detalhes que fazem toda a diferença e mantém a alegria de todos. No caso da nossa relação com as bactérias boas isso não é diferente. Veja algumas estratégias para recuperar a ecologia intestinal e, de quebra, a boa saúde.

- Antibióticos: só use antibióticos quando realmente for necessário, pois isso promove alteração de microbiotas (flora intestinal) favorecendo certos grupos como os firmicutes, que em excesso aumentam o risco de obesidade.

- Evite carne de animais confinados: 80% do antibiótico produzido na América é destinado para o confinamento. Os animais criados em confinamentos recebem antibióticos que alteram a microbiota. Além de promoverem crescimento e ganho de peso mais rápido, os antibióticos nesses animais também evitam o aparecimento de infecções que atrasam o resultado e tendem a ser frequentes pelas condições inóspitas em que os animais são criados. Além disso, nas rações há muito pesticida que altera as bactérias intestinais e geram resistência a certas medicações, bactérias do solo e alimentos que promovem fármaco-resistência.

- Açúcar refinado e frutose processada: limitar ao máximo o consumo de açúcar refinado e processado na alimentação é critério básico para a saúde do intestino. O açúcar e o xarope de milho rico em frutose aumentam o crescimento de bactérias desfavoráveis, como as leveduras e os fungos. A frutose é mais agressiva do que o açúcar em termos de glicação de proteínas; ela aumenta muito a porosidade intestinal, doenças inflamatórias e a obesidade.

- Alimentos transgênicos e pesticidas: as suas bactérias intestinais esperam um tipo de alimento igual ao fornecido por milhões de anos, e a presença de alimentos que não são reconhecidos pela sua microbiota representam um perigo. É sabido que o uso de glifosato nos alimentos transgênicos altera a microbiota humana, promovendo um ataque duplo em suas bactérias intestinais cada vez que você consome esses alimentos.

- Alimentos probióticos: é muito importante consumirmos vegetais fermentados, Kefir ou suplementos probióticos diariamente, especialmente no caso do uso de antibióticos.

- Fibras prebióticas: consuma muita fibra ou suplemento prebiótico, pois estes vão alimentar a sua flora intestinal promovendo resistência às doenças, saúde e longevidade.

Referências Bibliográficas: 

- British Journal of Nutrition 2011 Sep;106(6):887-95 
- Nature June 14, 2012: 486; 222-227  
- Neurogastroenterology and Motility 2011 Dec;23(12):1132-9. 
- American Journal of Clinical Nutrition March 2008: 87(3); 534-538  
- Nature 2012 Aug 30;488(7413):621-6 
- Science News March 27, 2913  
- Journal of Proteome Research 2010, 9 (6), pp 2996–3004 
- Cell Host & Microbe 2012 Sep 13;12(3):277-88 
- J Expo Anal Environ Epidemiol. 2001 May-Jun;11(3):231-52 
- European Journal of Clinical Nutrition 2010 Jun;64(6):636-43  
- Applied Environmental Microbiology 2004 November; 70(11): 6459–6465

Fonte: Dr Rondó

Veja também

Atividade física faz bem!17/10 Que tal começar seu dia com mais disposição com uma atividade física cedinho? Estudos comprovam que a atividade física ajuda e muito para que o indivíduo tenha mais disposição. Mas calma, não é preciso ficar horas na acadêmica logo cedo. Isso você pode programar para mais tarde ou para um horário em que você tenha mais......
Vem aí, encontro na Veste Mais em Xanxerê!17/10 Revendedoras de Xanxerê e região, anotem na agenda o evento que será dia 13 de agosto na loja Veste Mais localizada na sala 08 do Centro Comercial La Vita, número 319. Durante o encontro, a nutricionista Marieli Pastorello......
Dia das Mães especial em Chapecó!12/05 Em comemoração ao Dia das Mães, na sexta-feira, dia 12 de maio, foi de parceria entre a QuantyVitta e a Estética SuperBella de Chapecó/SC. A nutricionista da QuantyVitta Marieli Pastorello falou sobre a marca, sobre a......

Voltar para NOTÍCIAS